Páginas

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Mazomba: uma joia rara em Itaguaí

Itaguaí é um município hostilizado por boa parte dos cariocas - até mesmo aqueles que moram em bairros bem longe do centro. Puro bairrismo. O fato é que essa "cidadezinha" andou recebendo muitos investimentos no setor portuário nos últimos anos, e vem tornando-se uma verdadeira potência industrial na região.

Ainda assim - e agora você vai entender a razão das brincadeiras dos cariocas -, Itaguaí ainda mantém uma bem preservada zona rural, com jeitinho de roça mesmo, mas muito simpática.

Uma dessas áreas mais preservadas é o distrito de Mazomba.

A bela e pacata estrada do Mazomba. Fonte

Famoso por suas cachoeiras e poções de água, o Mazomba é uma opção muito procurada no verão pelos moradores de Itaguaí e também do - ora, vejam só! - Rio de Janeiro, que buscam a tranquilidade dos sítios e parques da região.

Marquei com o Pedro de pedalarmos até lá, num trajeto um pouco mais longo do que o habitual pra gente na época: 70km, ida-e-volta.


Os primeiros 20km foram os mais tranquilos, já que, saindo do bairro de Campo Grande (RJ), contamos com uma ciclovia até o bairro de Santa Cruz, bem próximo ao limite municipal com Itaguaí.

A partir da divisa, basta atravessar uma pequena ponte e seguir em frente pela periferia do município, até a próxima saída para a Rio-Santos.

Foi nossa primeira experiência numa estrada movimentada como a Rio-Santos e, confesso, ficamos bastante apreensivos. Aceleramos nossas bicicletas e percorremos bem rápido a distância de 4km até a entrada da Estrada do Mazomba.

Ali, a tranquilidade reinava. A pista era excelente, quase não havia carros e o clima estava muito bom - um pouco quente, talvez, mas não desesperador. Percorremos 7km pela pela estrada do Mazomba até chegar no pórtico de entrada do distrito:



Dali em diante, fim do asfalto! Mais uma nova experiência, pedalar off-road. E não é que gostamos? Em posse de nossas modestas porém eficientes mountain bikes, até que desenvolvemos bem alguma velocidade por ali, passeando por uns 3km da bem estradinha de terra.

Acabamos passando desatentos pelo "centrinho" do bairro, sem perceber que era justamente por ali a entrada para os famosos poções do local. Ainda em frente, com a paisagem cada vez mais arborizada, a temperatura diminuiu bons graus, ainda assim numa atmosfera perfeita para um bom mergulho no primeiro riacho com uma pequena queda d'água que avistamos.



Mergulhos dados, almas lavadas, era hora de voltar para casa... não sem antes aproveitar a linda paisagem da ponte que passava sobre o rio Mazomba, que deu origem ao nome do local.


Repare só como nossos alforges evoluíram, haha


Combinamos de um dia voltar lá e aproveitarmos o tal do poção. Um lugar lindo como esse não pode ser visitado apenas uma vez.

Um comentário:

  1. Fiquei apaixonado quando fui na cachoeira pela 1a. vez, há 15 anos atrás. A última vez, há 2 anos, fiquei horrorizado. Ao longo do rio, muitas casas e biroscas jogando imundices e, mais abaixo o pessoal tomando banho. Nunca mais voltei.

    ResponderExcluir

Comente, sugira, critique!